Nem todos que praticam crimes são “criminosos”

E aí, galera, beleza?

Tenho pouco mais de 20 dias para entregar a monografia da pós em ciências criminais e, por isso, minha cabeça anda num ritmo bem frenético, fazendo com que não tenha conseguido me dedicar ao blog como gostaria, tampouco ver o conteúdo dos blogs amigos.

Devido a essa falta de tempo, nesse post quero apenas dividir com vocês um dos raciocínios levantados no trabalho que venho realizando sobre a seletividade existente no sistema penal, qual seja:

Não basta praticar uma conduta contrária às normas para ser considerado um criminoso. A condição de desviante é apenas o resultado do etiquetamento social, de modo que é possível agir de forma diversa daquela descrita em lei, mas não ser criminalizado.

Por hoje é só pessoal!


Gostou do texto? Curta! Basta clicar na estrela que está abaixo do post.

Comente também! Mesmo se não gostou ou não concordou.

Para atingir um resultado maior e melhor, o assunto deve ser debatido e as opiniões trocadas.

Ah! Segue o blog, né?! Sem falar de cadastrar o seu email para receber as nossas atualizações sempre que novos textos forem postados. Basta ir no final da página inicial, clicando aqui, e seguir o passo a passo. É fácil e assim você não perde nenhum post.

Um grande abraço!

Anúncios
LEIA TAMBÉM:  O mistério do ladrão que roubou US$ 200 mil, saltou de paraquedas de um avião há 45 anos e nunca foi achado

O que achou do post? Deixe seu comentário aqui: