Pobre não pode usar drogas

Tiago e David são dois jovens (com idade entre 18 e 21 anos), ambos estudantes.

A diferença entre eles é que Tiago é de classe média/alta e está no curso de Direito; enquanto David é de família humilde, morador da periferia e faz um curso técnico oferecido pelo Estado.

Tiago tem uma mesada dos pais e estagia no Fórum da sua cidade. David, com muito custo, fazendo bicos, consegue dinheiro para se divertir, pois os pais não podem lhe dar nada nesse sentido.

Apesar das diferenças entre eles, há algo que os une, os dois são “maconheiros”(como dizem por aí), isto é, são usuários de maconha.

Tiago e David não se conhecem, ao menos não se conheciam até o dia em que foram à boca de fumo comprar drogas.

Nesse dia, os dois jovens foram até a boca de fumo localizada em uma periferia da cidade.

David já morava pelas redondezas e foi de bicicleta; Tiago foi com o carro que ganhou dos pais como prêmio pela aprovação na faculdade.

Tiago comprou 15 buchas de maconha, pois queria evitar voltar lá tão breve, e 03 papelotes de cocaína, tendo em vista a festa que teria mais tarde; David, como não tinha muito dinheiro, só comprou 05 buchas e guardou os outros R$ 15,00 para jogar videogame de tarde.

Para o azar dos dois, quando voltavam, Tiago em seu carro e David em sua bicicleta, a polícia estava fazendo um patrulhamento de rotina na região e determinou que os dois parassem, os abordaram e localizaram as drogas que haviam acabado de comprar.

Quem vocês acham que foi autuado por uso de entorpecente e quem foi autuado por tráfico de drogas?

LEIA TAMBÉM:  Reduziu o número de fumantes no Brasil e não foi com a criminalização do consumo

Para o “Sistema”, Tiago tinha, além da aparência, condições financeiras de estar naquele local apenas para comprar drogas, pois era de classe média/alta, universitário, estagiário, tinha um carro, …

Já no caso de David …

David era morador de periferia, pobre, não trabalhava “oficialmente”, não estagiava, preenchia o “perfil criminoso”, logo, com que dinheiro estaria comprando drogas? E o dinheiro (em notas fracionadas) que foi encontrado com ele era proveniente de onde?

Tá na cara que as circunstâncias (além de todas essas que eu disse, estava em um local conhecido pelo intenso tráfico de drogas, em atitude suspeita) demonstram que ele, David, praticava o crime de tráfico de drogas!

Seria ainda pior se David tivesse algum registro penal em seu desfavor, mesmo que relacionado a ato infracional.

Infelizmente, essa é a realidade do Sistema Penal, em que o julgamento é mais sobre quem você é do que pelo que você fez, deixando de analisar os fatos para julgar a pessoa.


Você escreve ou quer começar a escrever textos jurídicos que se enquadram no perfil do blog? Mande um e-mail para pedromaganem@gmail.com e vamos mudar paradigmas!


Gostou do texto? Curta! Basta clicar na estrela que está abaixo do post.

Comente também! Mesmo se não gostou ou não concordou. Para atingir um resultado maior e melhor, o assunto deve ser debatido e as opiniões trocadas.

Ah! Segue o blog, tanto no WordPress, quanto nas redes sociais. Sem falar de cadastrar o seu e-mail para receber as nossas atualizações sempre que novos textos forem postados. Para tanto, basta seguir o passo a passo que está na página inicial. É rápido e fácil e assim você não perde nenhum post.

LEIA TAMBÉM:  A prisão previne a prática criminosa?

Um grande abraço!

Anúncios

6 comentários

  1. Perfeita sua descrição da realidade, por isso, descriminalizar a maconha seria um importante passo para acabar com uma, das inúmeras, injustiças sociais da sociedade.

    1. A descriminalização e regulamentação das drogas são medidas urgentes e necessárias para um futuro melhor. Direito Penal não pode servir como babá de quem quer usar substância entorpecente.
      Um grande abraço

    1. Na verdade, Lúcia, a questão é a diferença entre descriminalizar e regulamentar.
      Descriminalizar é fazer com que deixe de ser crime, de modo que o ato de consumir drogas deixe de ser regulado pelo Direito Penal.
      A regulamentação é a criação de regras para o consumo, como a venda lícita, a tributação, a limitação de locais para se consumir, a quantidade que se poderá adquirir,…
      Já a legalização é parecido com.a descriminalização, pois legalizar significa tornal legal, lícito, permitido.

      Um grande abraço

O que achou do post? Deixe seu comentário aqui: